Notícias

Antonia Morais: “Machuca quando se referem a mim como filha de Gloria ou irmã de Cléo”

25 de Outubro de 2018 às 09:25 POR REDAÇÃO MARIE CLAIRE
Antonia Morais Foto: Reprodução Instagram

Faz pouco mais de um mês que Antonia Morais, 26 anos, foi passar uma temporada em Los Angeles para estudar música e interpretação. Na cidade norte-americana, a atriz e também cantora deve ficar pelo menos mais um mês e meio. Portanto, serão quase noventa dias longe da família - Antonia é filha de Gloria Pires e Orlando Morais, mas essa, diz, não é a melhor forma de se referir a ela - e do noivo, o ator Wagner Santisteban, de 35.

À Marie Claire, ela respondeu por e-mail sobre privacidade em tempos de redes sociais, feminismo, pânico - "Minhas crises de duraram anos" - e a parte mais custosa de ser filha de pais superfamosos: "É como se eu não tivesse o direito de exercer minha individualidade como ser humano ou como artista".

Marie Claire: Quais foram os países em que já morou? Em qual deles moraria de novo e em qual não voltaria?
Antonia Morais: Em três países. Fui alfabetizada na Califórnia [Estados Unidos] e me formei em Paris [França], neste meio tempo morei no Brasil. Fui muito feliz em todos os lugares que morei, cada um tem sua história, sua cultura e tive a sorte de experimentar isso em momentos diferentes da vida. Voltaria em todos eles!

MC: Em uma conversa no canal da Gabriela Pugliesi, você disse que já deixou de fazer muita coisa por ser filha de Gloria Pires. Qual dessas coisas foi mais custosa?
AM:
Sinto que sempre fui injustamente julgada, e venho lutando para conseguir ser chamada pelo meu próprio nome no meu país. Ser reconhecida pelo que faço e por quem sou é muito importante para mim e sinceramente me machuca quando abro meu coração em uma entrevista e se referem a mim como “filha de Gloria Pires” ou “irmã de Cléo Pires”, como se eu não tivesse a menor importância. É difícil conseguir se livrar dessa sombra quando tudo que faço é automaticamente relacionado à minha família. É como se eu não tivesse o direito de exercer a minha individualidade como ser humano ou como artista.

Sempre fui injustamente julgada, e venho lutando para conseguir ser chamada pelo meu próprio nome no meu país
Antonia Morais

MC: No seu tempo em Los Angeles, Wagner, seu noivo, fica no Brasil. Como fazem com o namoro à distância?
AM:
Estamos lidando super bem. Somos jovens e ambos ambiciosos, sabemos que nem sempre vamos poder estar fisicamente juntos. Faz parte da vida que escolhemos. Nós apoiamos muito e somos melhores amigos além de noivos. Falamos todos os dias, às vezes no Facetime, no WhatsApp sempre. Mas sem cobranças.

MC: O que de fato te aborrece e te deixa triste?
AM:
Acho que a crueldade e a injustiça em qualquer nível são coisas que me deixam bem triste.

Antonia Morais e Wagner Santisteban (Foto: Reprodução Instagram)


MC: Já passou por depressão, ansiedade ou pânico?
AM:
Passei por tudo isso. Minhas crises de pânico duraram anos. Começaram em 2012 e parei de ter até pouco tempo atrás. Fiquei ao menos três anos depressiva e ainda tenho picos de ansiedade, mas dentro de um nível normal, acredito. Graças a Deus, quando penso nessas coisas, penso no passado. Meu presente é bem diferente disso.

MC: O que você faz para sair de um momento ruim, hoje?
AM:
Muitas mudanças foram necessárias para essa transformação de hábitos: minha alimentação por exemplo. Sempre que posso estou em contato com natureza, medito, faço yoga e me treino a ter bons pensamentos. Atualmente, sou uma pessoa mais disciplinada com meu bem-estar e tenho um compromisso sério com a minha felicidade.

MC: Com o que mais gasta seu dinheiro?
AM:
Invisto bastante nas viagens que faço. Gosto de viajar bem, segura, confortável e sem preocupação. Não me arrependo de nada que já tenha comprado, já fui bastante consumista com roupas, bolsas e sapatos. Hoje, ainda compro uma coisa ou outra [mais cara], mas nada grave.

MC: Quem é seu Deus? Por quem ou o quê dobra os joelhos?
AM:
Meu Deus é o cosmos, o universo, presente em cada partícula que gera vida. Presente em mim e em você. Eu rezo sim, porem minha orações são muito pessoais.

MC: Em tempos de redes sociais, o que compartilha e mostra sem problema nenhum e o que não mostra ?
AM:
É difícil dosar. Compartilhar se tornou quase uma extensão do cotidiano. Mas ainda me pego em muitos momentos só meus, com meus amigos, com meu namorado, com minha família, que simplesmente vivo aquele momento e nem penso em redes sociais.

Sou a favor do aborto, mas sinceramente este assunto é muito delicado e tenho certeza que causa uma dor profunda em toda e qualquer mulher
Antonia Morais

MC: Se considera uma feminista? Qual causa lhe parece mais cara?
AM:
Sim! Nós mulheres merecemos ter os mesmos direitos que os homens. Sou a favor do aborto, mas sinceramente este assunto é muito delicado e tenho certeza que causa uma dor profunda em toda e qualquer mulher que queira ou tenha que passar por is
so.

Deixe seu comentário!