Blog - Giro Cultural

Postado em 15.07.2016 às 14:17 horas

Numa junção de música, audiovisual e artes cênicas, o espetáculo “Trilhas de Cinema” da Orquestra Sinfônica da Universidade  Federal de Mato Grosso, sob a regência do maestro Fabricio Carvalho, intenciona arrebatar de emoções a plateia que comparecer ao Teatro Universitário, às 20 horas, nos dias 28 e 29 de julho, em Cuiabá.  A ideia é permitir ao espectador a vivência numa espécie de 4D nas artes, em que  além da execução musical das trilhas pela Orquestra  e exibição audiovisual de trechos do filme relacionado, o público vai se deparar com performances teatrais protagonizadas pelo grupo Tibanaré. Os ingressos já estão à venda na Casa de Festas, no site ingressosmt.com, e na semana do espetáculo, na bilheteria do Teatro.

O maestro explica que a Orquestra da UFMT já desenvolve há bastante tempo a experiência em executar trilhas de cinema, percebendo tais composições como fundamentais para o entendimento do que é a música erudita. “Grandes compositores de cinema são autores de trilhas e vice-versa, quando muitos compositores de cinema partiram para carreira de composição clássica em função do sucesso que tiveram na sétima arte”, completa Fabricio.

A música e o cinema se harmonizam com uma poética particular, assessorando um ao outro com perspicácia e sensibilidade, onde a cena traz cor à música, no que os especialistas chamam de policromia sonora. “Na faculdade, me impressionei com a policromia sonora, especialmente de como a música influencia na cor da cena. Quem começa essa história é o maestro, compositor, diretor de teatro e ensaísta alemão Richard Wagner, século XIX, primeiramente conhecido por suas óperas ou "dramas musicais", cujas composições particularmente as do fim do período, são notáveis por suas texturas complexas, harmonias ricas e orquestração, e o elaborado uso de Leitmotiv: temas musicais associados aos personagens ou ambientes. O que percebemos com clareza na contemporaneidade, por exemplo,  nas novelas: música do casal, da mocinha, da vilã”, acrescenta o maestro, pontuando que  a música de cinema  tem uma ambiência  profunda.

Para intensificar a experiência musical, o repertório conta com canções de  filmes consagrados para os cinéfilos, como “O Vento Levou”,  executada pela primeira vez  pela OSUFMT. Quem não se lembra do clássico americano protagonizado por Clark Gable e Vivien Leigh nos papeis de Scarlett O'hara e Reth Buttler? E a velocidade cênica de Piratas do Caribe, transportada para as cordas dos violinos, cellos, violas da Sinfônica?  E ainda com a invasão do teatro universitário pelos personagens, numa interação imediata com a plateia, em que a sala de cinema se mescla a sala de concerto.

A participação do grupo de teatro Tibanaré em espetáculo da OSUFMT se repete, trazendo a vivacidade nas artes. “Eles participarão em algumas  trilhas, interpretando cenas dos filmes, interagindo com a plateia, construindo uma temática diferente, numa experiência 4D, claro no sentido figurado, mas com a intensidade de emoções. Imagina acompanhar a cena épica do E.T. com música, projeção e performance? Certamente será incrível”, destaca Fabricio.

Um espetáculo dinâmico, emotivo, nostálgico a partir das canções dos filmes “Senhor dos Aneis”, “Poderoso Chefão”,  “Titanic”, “Stars Wars”, “2001, Uma Odisséia no Espaço”, “Jurassik Park”, “Coração Valente”,  “E.T. O Extraterrestre”,  “Indiana Jones”, “E O Vento Levou”, “Indiana Jones”. O espetáculo também traz o virtuosismo do spalla da Sinfônica da UFMT, o violinista Yllen Almeida, nos solos das músicas “Cinema Paradiso”, “A Lista de Schindler” e “Piratas do Caribe”; e ainda a participação especial do cantor Ones Miguel na canção “Can You Feel The Love Tonight” de “O Rei Leão.

Segundo o maestro, este espetáculo se reveste de uma experiência completa das artes, reafirmando um importante momento  da temporada 2016, que ao longo do ano contou com espetáculo de 30 anos da carreira do Yllen Almeida, cuja trajetória musical começou na instituição, o intercâmbio artístico oportunizado pela regência do maestro convidado Léo Cunha da Opus de Minas Gerais e solista Derico, no mês passado junto a Orquestra da UFMT. “E tem mais, em agosto a OSUFMT estará em Sinop, com concerto comemorativo aos 10 anos do campus da UFMT no município, com participação do cantor e compositor Guilherme Arantes, e apoio da Prefeitura da cidade, reforçando o conceito de parcerias nas ações que tem como vocação o desenvolvimento humano”, finaliza.

O concerto  integra a Temporada 2016, uma realização da UFMT, por meio da PROCEV – Pró-reitoria de Cultura, Extensão e Vivência, e apoio do Varadero.

Serviço:

O QUÊ: Espetáculo Trilhas de Cinema, da OSUFMT, sob e regência de Fabricio Carvalho

QUANDO: 28 e 29 de julho de 2016

HORÁRIO: 20 horas

ONDE: Teatro da UFMT - Cuiabá

Deixe seu comentário!